FotografArte São Paulo - SP

FotografArte #4 - Du E-holic

Simplicidade é aquilo que mais admiro – e busco – para a minha vida. Logo quando idealizei o Projeto FotografArte, tinha este cara na minha cabeça, conversamos, mas por causa de uma aventura sem CEP, tivemos que deixar nossa troca artística mais para frente. O tempo passou, nada mudou e, aqui, eu o apresento.

Costureiro é o ofício.
O que ele ama fazer e que brota de dentro pra fora, da forma mais natural possível.
Se perguntar o motivo para escolher costurar chapéus, a resposta é a mais simples possível: “Um dia eu resolvi comprar um chapéu, eles eram muito quentes, desconfortáveis e não me serviam direito. Resolvi costurar um e então soube que queria fazer isso para o resto da vida”.
Tão simples quanto o motivo que o levou a virar um chapeleiro, é a forma de se comunicar e produzir sua arte. Uma máquina montada em uma sala com aquilo que ele mais gosta: coleções de “tranqueiras” dos lugares por onde passou – 40 países, ou mais. Música rolando durante toda a criação, de acordo com aquilo que o inspira no momento. Melodias, concentração, giz, caneta, tesoura e muitos tecidos. Cores, retalhos, recortes e muita, muita, muita linha. Linha que liga um tecido ao outro, os dedos ao coração e o coração à cabeça. Cabeça cheia de ideias, simplicidade e sonhos. Sonho de viver sem CEP, com lugar cativo n’aqueles que conquistou por onde passou.
O Projeto FotografArte #4 apresenta Du E-holic, o chapeleiro sem CEP, que morou no Marrocos e moraria na Bahia ou em Pirenópolis, mas veio morar, durante um momento, nas minhas lentes.